[ESCRITA] Livros são produtos, por tanto, resenhas devem ser cobradas?

Olá pessoal! Como vocês estão?

Vou começar falando que eu tive que pensar muito a respeito disso e um dia eu desejei falar sobre esse tema. Bem, esse dia chegou. Então, este artigo contém a minha própria opinião sobre o tema "resenhas devem ser cobradas?"


Produto é o resultado de um trabalho ou uma atividade.
Livro é o resultado do trabalho de um autor, que pode ou não ser publicado por alguma editora.


Logo, esses livros são comercializados e então, autor, editora, distribuidora e livraria ganham uma porcentagem do lucro das vendas, o que não é muito, convenhamos. Mas isso faz do livro ser, sim, um produto.

Aqui temos dois lados da mesma moeda: o livro é um produto e cobra-se por ele. Um serviço também deve e pode ser cobrado. Só que aí blogueiros e booktubers que tentam ganhar a vida resenhando livros não podem cobrar por uma resenha e uma divulgação? Não podem, eles, cobrar pelo seu próprio trabalho? Assim como um autor recebe pelo trabalho dele?


     Você pode gostar do artigo "51 ideias de posts para blogs literários"


Há algum tempo houve um escândalo envolvendo uma das predecessoras do booktube, a Tati Feltrin, que foi a primeira a ter um canal exclusivamente para falar de livros.

Eis que um rapaz enviou um e-mail solicitando um serviço dela: resenha e divulgação. Quando ela enviou seu plano de trabalho ele começou a divulgar textos falando que aquilo era um absurdo, que onde já se viu cobrar do escritor brasileiro que já sofre para publicar o seu livro e que esses booktubers e blogueiros literários só queriam saber do dinheiro.


Eu sinceramente não entendo as pessoas que acham que alguém não pode cobrar pelo serviço dela. Uns dizem que somente um Crítico Literário formado é quem pode emitir opinião sobre determinado livro. Bom, o público vai no jornal pegar dicas de leitura ou vai pro instagram, youtube e internet no geral?

Obviamente o trabalho de um crítico literário é profissional, técnico e fundamental mas é uma coisa que não vem de encontro com o que o grande público deseja. Eles querem que você fale a língua deles, que o livro tenha algo de teor sentimental para o leitor.

    Você pode gostar desse artigo "Como ser um leitor crítico"


Uma resenha feita por um blogueiro, booktuber ou bookstagrammer dá a impressão de "gente como a a gente" que pode ter ressaca literária, que pode se empolgar e ler vários livros no mês ou que leu apenas 2.

Ler um livro, analisar, escrever uma resenha, tirar uma boa foto, investir no canal, nos equipamentos, no escritório, na própria divulgação.. tudo isso custa um tempo danado e também, é claro, um bom dinheiro.

Se uma pessoa tem vários seguidores e tem um público fiel, que interage e lê os livros que ela recomenda, com toda certeza pode cobrar por uma divulgação e resenha do livro se ela quiser.

Não se trata de bom samaritanismo se trata de negócios.

Não tem nada de errado se a pessoa nunca cobrar por isso e só fazer por prazer e hobbie, assim como não tem nada de errado em alguém querer cobrar pelo seu trabalho e investimento.


 Você pode gostar de ler "Como classifico e dou notas para minhas leituras"

E é óbvio que podem-se fazer parcerias por permuta, mas tenho total convicção de que os grandes produtores de conteúdos desse gênmer
Tem-se a rasa ideia de que blogs e canais literários precisam fazer apenas por amor. E sim, o fazemos com todo o amor do mundo, mas a gente também precisa pagar os boletos e os investimentos que fazemos em nosso negócio. Por isso, reforço, se trata de negócios também.

Por tanto, é indiscutível que todos são livres para fazer o que bem entender e lidar com os seus projetos da maneira que lhes convém.

Um livro precisa ser vendido pra fazer sucesso e um criador de conteúdo literário é uma forma certeira de fazer isso, não há como negar.

O que você pensa a respeito?

Nenhum comentário

Postar um comentário

Obrigada por comentar! Assim que possível venho aqui para responder você. Beijos!