Como as Crônicas de Amor e Ódio mudaram a minha vida

08:53:00

Já venho a algum tempo comentando sobre o meu amor pela trilogia das "Crônicas de Amor e Ódio", mas nunca parei para realmente abrir meu coração e falar sobre o porquê essa trilogia me cativou tanto e o quanto ela foi poderosa e extremamente influente na minha vida.

Por isso, no post de hoje quero falar sobre "Como as Crônicas de Amor e Ódio mudaram a minha vida".



Era agosto de 2017 quando finalmente resolvi ler o primeiro livro "The Kiss of Deception" numa maratona de final de semana, e quando finalizei a leitura dele fiquei tão eletrizada que logo embalei na leitura do segundo livro e menos de uma semana depois finalizei ele e já comecei o terceiro.

Em setembro fechei a leitura da trilogia com uma mescla de emoções tão grande dentro de mim que eu tive que ficar vários dias pensando na vida, absorvendo a leitura e o impacto que ela havia causado.

Eu sempre defendo a ideia de que livros conectam sentimentos, por isso se você lê uma obra no momento certo ela entra em sintonia contigo, e essa trilogia não poderia ter chegado no momento mais certo.

Após a leitura e resenha e mil recomendações apaixonadas que fiz, fui vivendo novembro e dezembro com aquela sensação de "eu vou ter que tomar o rumo da minha vida". E então comecei a assistir uns vídeos de desenvolvimento pessoal, ler alguns artigos mais reflexivos e finalmente montei as minhas resoluções do ano de 2018.

A lista era mais ou menos assim:

  • Focar no meu desenvolvimento pessoal
  • Voltar a escrever meus livros
  • Mudar de casa
  • Assumir mais riscos em minha carreira
  • Confiar nas minhas habilidades e conhecimentos
  • Acreditar no meu potencial

Eu simplesmente internalizei a Lia e percebi que não poderia mais ser "a princesa que foge das responsabilidades". Aprendi que tudo na nossa vida acontece por uma razão e que cada ação gera uma consequência, e principalmente: nós somos os responsáveis pelo rumo que a vida toma. Além disso, para atingirmos certos objetivos precisamos fazer alguns sacrifícios e isso envolve amadurecer e deixar a pessoa que fomos para trás.

A Lia era uma princesa que não aceitava a sua realidade. Não tinha voz e nem vez. Precisa entrar no jogo dos adultos e atender às suas ordens. Quando ela decidiu quebrar esse ciclo e deixar pra trás tudo aquilo que amava e ao mesmo tempo à atormentava a vida dela mudou drasticamente. 

Com o desenrolar da história ela pôde perceber a crueldade, maldade e jogo de poder que envolvia esse mesmo mundo que ela foi criada para obedecer e decidiu que mudaria tudo, custasse o que fosse, até mesmo a sua própria vida e a sua liberdade.

Ela ganhou força e poder quando finalmente acreditou que os tinha. Ela teve voz quando decidiu que a usaria. Ela decidiu, por fim tomar as rédeas do seu destino e construiu o seu próprio caminho.

Na vida real eu me sentia uma Lia fugindo de Morrighan. E ao vê-la amadurecer no segundo livro em diante foi como uma grande sacudida "HEY ACORDA PRA VIDA!".

Começou 2018 e eu decidi que não continuaria na rotina monótona do meu trabalho. Arriscaria. Consegui fechar um acordo para trabalhar somente meio expediente. No restante do tempo eu li, escrevi muito, assisti documentários e vídeos que começaram a expandir meus pensamentos. Comecei a fazer vários cursos online. Participei de workshops. Foquei na minha inteligência emocional, na minha capacidade de escrita e por fim, na minha liderança.

Há 4 anos atrás eu cheguei na empresa onde trabalho como estagiária, então, na semana passada fui promovida à Supervisora do Administrativo. \o/ 

E eu já contei que fui demitida de alguns empregos por ter dificuldade em lidar com as pessoas, e sinceramente, eu odiava ter que interagir com elas. Pois bem. Foi justamente à essa capacidade de liderança recém-adquirida que hoje oriento seis pessoas no trabalho e adoro tudo isso!

E é exatamente o que eu penso: "Nada acontece por acaso."

Eu assumi o meu papel no mundo. Decidi que teria voz, que arriscaria, que iria fazer mais do que apenas sonhar. Decidi aprender com meus erros e também decidi deixar o passado que me prendia para trás. A Milene de 4 anos atrás não comportava mais os planos da Milene de agora.

A carga emocional que a princesa Arabella Celestine Idris Jezelia trouxe para a minha vida simplesmente fez com que eu olhasse para mim mesma e pensasse:"ela conseguiu. Eu também consigo".
Mesmo que ela seja uma personagem fictícia tornou-se a minha fonte de inspiração. Afinal, eu não tinha muita gente ao meu redor que me apoiaria nas  loucuras que faria nesse ano - depois eu encontrei o que foi incrível! - .


E como está a Milene de agora?

Eu não tenho mais tanto medo do fracasso. Aceitei que tudo que é ruim vem para melhorar nossa vida. Entendi que precisamos quebrar algumas regras ou inventar novas. E por fim, aprendi que as coisas que acontecem na nossa jornada podem nos moldar e cabe a nós decidirmos se vamos nos deixar moldar ou vamos virar a mesa e dizer: eu sou a responsável pela minha vida e sei o que posso encarar para conquistar meus objetivos, se eu errar ou acertar a culpa vai ser inteiramente minha!


Então, pessoal. Essa foi a minha história com essa trilogia tão amada e querida que fez com que eu decidisse que minha vida daria um giro de 360º e queria dizer que a sensação no começo é apavorante, mas depois, a liberdade que isso dá é mágico!

Se você ainda não leu, corre agora e já começa a sua leitura e espero que ela venha no momento certo da sua vida e possa trazer todas essas coisas boas para ela também.

Você já conhecia essa trilogia? Me digam o que acharam desse meu diário de bordo de hoje.
Um super beijo e até a próxima!

You Might Also Like

4 comentários

  1. Mi você sabe o quanto amo essa trilogia também, e foi maravilhoso observar sua "metamorfose" depois de conhecer a Princesa Jezelia. Você amadureceu bastante, e é bem perceptível isso! Imagino que para quem convive com você pessoalmente seja ainda mais nítido! Continue trilhando esse caminho, que você será todo aquilo que deseja ser! Parabéns pelo texto! Livros são exatamente para isso! Quebrar paradigmas, preencher lacunas, orientar vidas! Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada pelo carinho, Gus! Também amadureci quando conheci pessoas tão incríveis como você. A gente precisa estar ao lado de pessoas assim para crescer também.

      E os livros fazem exatamente isso, quebram paradigmas e nos dão esperança.

      Excluir
  2. Texto inspirador! Tô com eles na estante e ainda não me encorajei de começar, mas agora eles vão se tornar prioridade. Parabéns Milene, muito bacana ver mais um caso de como os livros transformam nossas vidas. Boas leituras!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Jardel! Eu recomendo para todos a leitura deles. A escrita da Mary E Pearson é fantástica! Espero que leia eles logo e me conte o que achou.

      Grata pela tua amizade. Boas leituras pra nós!

      Excluir

FACEBOOK

Siga o Blog!